14/10/2010

Sujidade

Escrevi,
No tampo de uma mesa,
Algo para alguém
Me Lembrar:
Um verso, um poema,
Uma coisa qualquer
Que na memória
Conseguisse ficar.

E daí que dei por mim
A escrever
Nada de especial,
Mas sim,
Algo para se ler.

Mas na mesa não ficaram
As linhas que resolvi traçar,
Porque alguém as apagou
Achando que lá,
No tampo da mesa suja
(Com medo de a sujar),
Não devia ficar.

3 comentários:

T disse...

Aconteceu-me o mesmo com um desenho.

ana disse...

ahah não xb

Patife disse...

O Patife gostou disto. ;)