23/09/2010

Com a mão que agarrava o hoje,

Com a mão que agarrava o hoje,
Pintei o meu dia 
Com uma cor triste.
Descolorada e borrada,
Continuou a manhã escura
De luz apagada.

Então palpava o terreno,
Desengonçada e torta,
À procura
De uma porta,
De uma janela,
Para um lugar sereno.
Não dava com ela.

Cheguei,
Gelada e fria.
Por fim
Me deitei
E num bocejo de cansaço,
Deixando o sono
Apoderar-se de mim,
Entreguei
Com a mão que agarrava o hoje,
O hoje ao Universo.

2 comentários:

Diana disse...

lindooooooo.

Diana disse...

felizmente ainda não perdi a minha mas está taõ longe demim e eu estav sempre tão perto dela. sabes o que é esse aperto? É ELA A DAR-TE FORÇA E A DIZER-TE QUE TEM MUITO ORGULHO EM TI.
Ps: obrigada querida...